Casa Rosada será remodelada

A Casa Rosada estará em ordem; isto após uma obra que vai durar até o último dia de 2019 a um custo de AR$ 285 milhões.

Não parece mas a casa de governo está em situação lamentável, e sequer possui um plano ou manual para orientar na manutenção do edifício.

Se não se encaram essas obras, em 10 ou 15 anos poderia se tornar inabitável.

A obra vai preparar a Casa Rosada para que sobreviva mais 100 anos.

A partir de fevereiro começam os trabalhos de resgate das áreas que hoje estão em desuso, como o velho refeitório presidencial que foi fechado pela ex-presidente Cristina Kirchner, que se queixava do forte cheiro de comida.

Como o refeitório está localizado em cima do despacho presidencial, o presidente Maurício Macri deverá evitar os ruídos da obra e permanecer trabalhando um pouco mais no despacho de sua residência na Quinta de Olivos.

A explicação oficial para que se efetue estas obras na Rosada é que “as condições em que se trabalha gera uma grande ineficiência”. Por isso, além de dotar o prédio de funcionalidade, a intenção é “reduzir sensivelmente os custos de manutenção”, disse o Secretário Geral da Presidência, Fernando De Andreis.

O que falta na Rosada

A Casa Rosada não conta com ar condicionado nem aquecimento; também não possui sistemas eficientes de esgoto – no fim de tarde é comum sentir olores desagradáveis na entrada principal por Balcarce 50.

Outra coisa fundamental que também não existe na Rosada é um sistema de segurança, e o prédio não oferece um plano de evacuação em caso de algum incidente.

Os fogões funcionam com gás a botija, apesar de um vasto sistema de gás encanado na cidade.

O custo total da obra será de 285 milhões de pesos e na primeira etapa serão destinados mais de AR$ 40 milhões que ajudarão a reduzir sensivelmente os custos de manutenção.

Deixe uma resposta

Atenção: Sua opinião é muito bem-vinda. Insultos e linguagem vulgar serão deletados.

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são necessários.