A história da Casa Rosada – Vários edifícios transformados em um palácio

A nova Casa do Governo e o Palácio dos Correios

Se você já visitou o Museu Casa Rosada assistiu, logo no primeiro setor, um vídeo que demonstra como foi a edificação da Casa Rosada; vários prédios que foram sendo transformados para se tornarem o que hoje é apenas 1 grande palácio, sede do Governo da Argentina.

Mas se você não pode voltar ao Museu e quer saber como foi essa “evolução arquitetônica” aplicada à Casa Rosada, aqui você entender os detalhes deste processo de construção.

Pode fazer a pipoca, que a história é bem interessante.

Se você já está em Buenos Aires, prepare-se para ir conferir pessoalmente o que será explicado aqui.

História da Casa Rosada

1594 – 1820
O edifício que hoje é a sede da presidência se encontra sobre o que foi a Real Fortaleza de Don Juan Baltazar de Austria, construída pelo governador Fernando Ortiz de Zárate en 1594 às margens abarrancadas do Rio da Prata. A fortaleza foi reconstruída em 1713, sendo substituída por uma construção de quase 1 hectare, rodeada por um fosso profundo, com quatro torreões retangulares e uma ponte levadiça que dava à “Plaza Mayor” (atual Plaza de Mayo).
Esse forte recebeu o nome de “Castillo de San Miguel” em 1720, quando foram completadas as obras de defesa.

Fuerte de Buenos Aires

Aquarela “El Fuerte y la playa baja”, de Emeric Essex Vidal.

O Forte de Buenos Aires (aqui na aquarela visto do rio) serviu de sede aos governadores, depois aos Vice-reis do Vice-Reino do Rio da Prata (Virreinato del Río de la Plata) e aos governos independentes a partir 1810.
Na década de 1820, o presidente Rivadavia ordena modificações que substituem a ponte levadiça por um pórtico em estilo neo-clássico.

Fuerte de Buenos Aires

O Forte de Buenos Aires visto da praça (e já com o pórtico que substituiu a ponte levadiça)

1850 – 1873
A fortaleza foi demolida parcialmente na década de 1850 para ser construido em seu lugar o edifício da Aduana Nueva, projeto do arquiteto inglés Edward Taylor. Do antigo edifício da época do Vice-reino restou somente um arco e uma parte do interior das muralhas demolidas, que foi reformado e convertido em Casa de Gobierno.

Aduana Taylor

Aduana Taylor vista do rio, com a nova Casa de Gobierno sendo construída atrás

Na presidência de Domingo Faustino Sarmiento a nova casa de Gobierno foi pintada de rosa.

1874 – 1884
Também durante a presidência de Sarmiento, foi projetado o primeiro Palacio de Correos, obra do arquiteto sueco Carlos Kihlberg, no espaço sul da área que havia ficado livre pela demolição do forte. O Palácio dos Correios demorou a ser construído e só ficou pronto em 1878, sendo inaugurado pelo Presidente Nicolás Avellaneda en 1879.

O novo edifício dos Correios era tão imponente que opacava a sede do governo, assim o presidente Julio Argentino Roca solicitou em 1882 um projeto de ampliação.

Antigo Palacio de Correos y Telégrafos

Antigo Palacio de Correos y Telégrafos e a diminuída Casa de Gobierno ao lado

A Residência dos Vice-Reis (já então convertida en Casa do Governo) era tão tímida em comparação com o novo Palácio dos Correios, que foram tentadas várias redecorações na fachada, inclusões de bandeiras e brasões, etc. Mas não adiantou muito: o edifício da presidência da nação era muito menor que o palácio dos correios…

Casa rosada menor que palacio dos correios

A Casa Rosada bem menor que o palacio dos correios

O projeto de ampliação e remodelação da Casa de Gobierno foi desenhado pelo Departamento de Ingenieros e ficou a cargo de Enrique Aberg (autor de outras obras notáveis em Buenos Aires), e incluía a construção de uma nova fachada, dando um aspecto similar ao edifício dos correios, trocando as janelas do segundo andar por uma sacada.

A residência dos vice-reis foi conservada atrás do novo palácio, que agora era tão imponente quanto seu vizinho (uma solução de gosto duvidoso…)

A nova Casa do Governo e o Palácio dos Correios

A nova Casa do Governo e o Palácio dos Correios, lado a lado

Na foto, feita da Plaza de Mayo, pode-se ver entre os dois palácios um pedaço da antiga residência, e a torre da Aduana Taylor.

Em outra foto, feita do alto da torre do Cabildo, podemos ver também a demolição da antiga Recova que se localizava em meio à Praza de Mayo:

Casa de Gobierno, Palacio de Correos y Recova

A Casa do Governo e o Palácio dos Correios ainda sem o arco, e a demolição da Recova

1884 – 1898
Em 1884 as restrições de espaço disponível no edifício já eram evidentes, de modo que foi planejado unificar os 2 edifícios e destiná-los exclusivamente à função de governo. A tarefa foi encomendada ao arquiteto italiano Francesco Tamburini, que projetou a união dos edifícios gêmeos mediante um grande arco monumental, que ainda hoje constitui o acesso pela rua Balcarce. A obra começou em 1886 e incluiu a ampliação do edifício no lado que dá para a rua Rivadavia, terminada em 1890.

A Casa Rosada em construção

A Casa Rosada em nova reforma (união dos 2 palácios e adição do arco central)

Tais reformas marcaram o fim do que restava do antigo Forte, restando apenas alguns muros e uma das canhoneiras que podem ser vistos no atual Museo Casa Rosada (antigo Museo del Bicentenario).

A expansão do novo palácio continuou até a atual rua Yrigoyen, terminada em 1896, e por último a fachada leste (voltada ao Puerto Madero), sendo o edificio inaugurado oficialmente durante a segunda presidência de Roca, em 1898.

Casa Rosada e Plaza de Mayo

A Casa Rosada e a Plaza de Mayo, já com vista livre ao novo palácio do governo

1937-1938: A demolição frustrada e os prejuízos arquitetônicos
Em 1937 o presidente Agustín P. Justo decidiu (apoiado pelos “intelectuais” da época) que o edifício seria demolido para se criar uma vista desde a Plaza de Mayo até o rio, além de extender a Avenida de Mayo até Puerto Madero. A demolição começou em fevereiro de 1938 pelas dependencias do antigo edifício dos Correios que davam à rua Victoria (hoje rua Hipólito Yrigoyen), reduzindo assim o lado sul em 17 metros…

A Casa Rosada antes da demolição

A Casa Rosada antes da demolição parcial de 1938 (em vermelho o setor que foi demolido)

Em fevereiro do mesmo ano assumiu a presidência Roberto Marcelino Ortiz, que em abril decidiu suspender as obras de demolição e ordenou reconstruir a fachada sobre a calle Victoria. Desta forma foi construida uma nova frente dando à rua Yrigoyen, e a parte já demolida foi aproveitada para alargar a calçada, ao mesmo tempo que avançava a construção do palácio do Ministério da Fazenda, do outro lado da rua. Uma ideia genial, já que a rua era bem estreita, e se tornaria ainda mais sufocante cercada por dois palácios altos.

Também foi necessário mudar de lugar a boca de acesso da estação Plaza de Mayo da linha A do metrô, que se encontrava justamente no trajeto de ampliação da tal rua estreita. Ainda que não seja tão visível, esta remodelação afetou a simetría da fachada (já que o arco central foi deslocado alguns metros para o sul) e significou a perda de uma parte importante do edifício construído em 1878.

O que restou da Casa Rosada

O que restou da Casa Rosada, sem uma parte lateral…

Mesmo com a reconstrução a Casa Rosada perderia totalmente sua simetria; como continua até hoje.

E assim chegamos ao que hoje é a Casa Rosada, mesmo faltando um pedaço; um conjunto de edifícios unificados que passou ainda por bombardeios, reformas e modificações até a chegada dos anos 2000.

Vídeo: A Casa Rosada através do tempo

Deixe uma resposta

Atenção: Sua opinião é muito bem-vinda. Insultos e linguagem vulgar serão deletados.

Seu email não será publicado. Os campos marcados com * são necessários.